Quem ajudamos

De acordo com uma pesquisa da Fundação João Pinheiro, no Brasil, o déficit habitacional quantitativo (pessoas que não possuem uma casa) é de 22 milhões. O déficit qualitativo (ou seja o número de pessoas que moram em situação inadequada) é de 53 milhões de pessoas — cerca de 1/4 da população de nosso país. Faltam políticas públicas que busquem solucionar o problema, que atinge famílias como a de Dona Luiza, primeira beneficiada pelos nossos serviços e cuja história narramos na sessão Lares Reformulados.

O Reformular, projeto criado em Belo Horizonte, viabiliza reformas habitacionais para famílias de baixa renda, oferecendo kits que englobam assistência técnica, planejamento, acesso ao crédito, mão de obra qualificada e material. Após recebermos e analisarmos o pedido, fazemos uma visita à família para um estudo completo. Verificamos quais aspectos da casa mais interferem na qualidade de vida dos moradores e, a partir disso, construimos um plano de reformas.

Inicialmente, vamos privilegiar os projetos localizados na região metropolitana da capital mineira, facilitando nossos ciclos logísticos.